terça-feira, 5 de agosto de 2008

Dia seguinte...

No dia seguinte o pequeno ladrão de frutas não conseguiu entrar no Castelo de Messiter, sua amiguinha havia avisado que estava muito difícil, pois os guardas estavam procurando a bola de cristal, e revistavam todos que entravam e saiam do reino, assim era muito arriscado a sua entrada. O mago estava muito intrigado com o sumiço da bola de cristal e todos do reino também, pois quem olhasse para a bola ficaria cego. Todos se perguntavam o que teria de tão triste nesta bola de cristal, e porque fazia tanto mal a quem a olhasse, o reino estava em estado de alerta, e os guardas estavam ansiosos em cumprir mais esta missão.

Enquanto isso a bola de cristal rolava de um lado para outro e sua única companhia era o animalzinho esquisito que a rondava e brincava sem parar, a moça não suportava mais até que pediu para parar, e o animalzinho parou e ficou olhando para ela firmemente. Então ela achou muito estranho, um animalzinho esquisito e que entendia o que ela falava, pôs-se a falar, e a recitar alguns poemas, ele a encarava mais de perto e parecia gostar de todas as coisas que ali ouvira.

A moça estava muito triste, fazia muito tempo que o menino não aparecia e ela ficava cada vez mais preocupada, pensou em várias hipóteses, teria ele descoberto o que se passava com ela, ou esquecera que havia prometido libertar ela daquela bola de cristal, ela não acreditava nas coisas que pensara e acabou adormecendo em meio as suas preocupações...

2 comentários:

José Antonio Klaes Roig disse...

Oi, Ana. Ficou muito bom o desencadear da bola de cristal. Cria e mantém a expectativa... E que venham outros dias e noite nesse Reino de estranhos. Parabéns, miga. Um abração, Zé.

Jow disse...

Concordo com o Zé, Ana ficou muito bom o post mesmo, ele realmente mantém espectativa!!